segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Na companhia de Gonzagão e Padre Cícero


Para quem já participou de uma jornada, seria desnecessário dizer que foram três dias intensos, com uma programação variada, repleta de excelentes temas fotográficos, muita diversão e alegria. O que mudou dessa vez foi o cenário, localizado em geossítios do Geopark Araripe, no sul do Ceará, e os novos jornadeiros Leonardo e Marina (vindos especialmente de São Paulo) e Tereza, além da Sandra (pela segunda vez consecutiva vindo de Recife para uma jornada fotográfica conosco), entre os 25 jornadeiros que lotaram o microônibus.

Na sexta-feira começamos o dia ainda em Pernambuco, no Parque Aza Branca em Exú-PE, onde conhecemos o Museu do Gonzagão, com documentos e objetos da sua trajetória de vida, a casa onde ele viveu os seus últimos anos, o mausoléu onde ele está enterrado e a casa de seu pai Januário. Depois de mais algumas horas de viagem visitamos o geossítio Pedra Cariri, em Nova Olinda-CE, e depois o geossítio Pontal de Santa Cruz, em Santana do Cariri-CE.

No sábado, depois de uma rápida passagem pelo Arajara Park, foi a vez de conhecermos os geossítios Riacho do Meio em Barbalha-CE e Cachoeira de Missão Velha, em Missão Velha-CE.

O domingo de manhã foi reservado para o geossítio Colina do Horto, em Juazeiro do Norte-CE, onde está localizada a famosa estátua do Padre Cícero, e onde fica também o museu em sua homenagem. Numa verdadeia aula de Brasil, tivemos a chance de conhecer de perto esse lugar tão procurado por romeiros de todo o país e presenciar de perto a força da sua devoção a uma das figuras religiosas e políticas mais importantes de todo o nordeste, além de conhecer um pouco mais sobre a sua história.

De tarde almoçamos no Crato e tomamos o rumo de casa, onde chegamos por volta das 21:30hs, após cinco horas e meia de viagem, embaladas por uma grande festa que tomou conta do nosso microônibus. Cansaço após toda atividade, esforço físico e pouco sono dos últimos dias? Que nada, nossos jornadeiros querem é se divertir, ainda que seja rodando sobre o asfalto, e para isso não faltou música dos anos 80 e 90 em alto volume, pista de dança e até iluminação de festa, proporcionada pelos milhares de disparos dos flashes das máquinas que registraram toda essa animação ambulante. Foi mais uma jornada memorável, que deixará lembranças eternas e que ainda irá render histórias por muito e muito tempo!

2 comentários:

  1. Que região maravilhosa! Pensei numa área seca como a nossa aqui em Juazeiro-BA, mas parece que estávamos no litoral! Faltou apenas o mar, mais sobrou nascentes e cachoeiras.

    ResponderExcluir