quarta-feira, 27 de junho de 2018

São João de verdade


Saímos de Petrolina um pouco antes das 8:00h da manhã do sábado, dia 23 de junho. Éramos oito jornadeiros distribuídos em dois carros. Chegamos em Senhor do Bonfim por volta das 10:00h e fomos diretamente para o local da nossa hospedagem, uma sala de aula do campus da UNIVASF. Deixamos as coisas lá e fomos conferir o que acontecia pela cidade, que exalava o clima junino.

Andamos pelo centro e circularmos pelo palco principal das festas juninas, instalado na Praça Nova do Congresso. Em seguida, andamos até o centro, onde passeamos pela feira livre que acontecia neste dia. Em todo o caminho, o clima era de São João. Muita gente, muito movimento e, é claro, muitas bandeirinhas, barracas de comidas típicas e outros adereços que marcam a época. Depois da feira retornarmos para a praça e lá encontramos com mais três jornadeiros, José Carlos, Joana e Catarina, que vieram especialmente de Jaguarari para se juntar à nós.

Almoçamos juntos e seguimos para o Hotel Novoleste, na Praça Lauro de Freitas, haveria haveria a concentração do tradicional Grupo Caroá. Ficamos por lá um tempo e resolvemos voltar ao centro antes da saída do grupo. Na Praça Antônio Gonçalves assistimos a uma apresentação sensacional de um grupo de quadrilha muito animado. Foi difícil se controlar e não sair dançando junto com eles. Antes, nesta mesma praça, circulamos pelas barracas de comida e artesanato.

Terminada a quadrilha, voltamos ao encontro do Grupo Caroá, que a esta altura já se encontrava na primeira casa do circuito, situada nas proximidades. Lá, entramos, conferimos o movimento e, para nossa alegria, encontramos com os jornadeiros Fabio Neto e Paula Theotonio. Eles se mudaram para Vitória da Conquista mas não perderam o espírito jornadeiro, mantendo a curiosidade e as máquinas fotográficas a postos em todos os momentos. Assim, pudemos conversar um pouco e matar as saudades. Ainda caminhamos juntos por outras casas, mas acabamos nos perdendo na multidão que seguia o desfile.

Continuamos com o Grupo Caroá até o anoitecer, passando por diversas casas. Quando já estava escuro, as primeiras espadas foram lançadas próximo ao grupo e provocaram sustos em alguns jornadeiros, em partcular o Vinicius Colletto, que foi atingido (sem gravidade) por uma delas em um dos pés. Seguimos mais um pouco e vimos mais espadas no próximo ponto de parada. Ali, um secretário municipal de Cultura que vestia uma camiseta com as inscrições "Tradição não é crime" soltava espadas com grande animação, em frente a uma fogueira. Em seguida, ele nos levou até um bairro vizinho onde uma Guerra de Espadas estava em pleno andamento. Por isso, precisamos nos despedir do Caroá antes do seu término.

Chegamos até a Guerra de Espadas um pouco receosos com o perigo. Afinal de contas, as espadas explodiam, faiscavam, soltavam fagulhas por todo lado, corriam pelo chão, emanavam fumaça tóxica e criavam risco de queimaduras em todos que se aproximavam. Por isso, decidimos por uma distância segura e ali ficamos, fotografando e recusando os convites dos espadeiros para nos aproximar e entrar na Guerra. Depois de tanta emoção, julgamos que já tínhamos visto e fotografado o suficiente. Assim, retornamos ao centro e fomos comer pizza e tomar cerveja, ainda sob efeito das histórias e fortes emoções da Guerra presenciada, além do restante do dia.

Retornamos à universidade por volta das 22:00h. A maioria prefeiru dormir, e por isso ficou às voltas com arrumações, banhos frios, sacos de dormir e colchões infláveis. Um pequeno grupo, no entanto, resolveu sair de novo e ir conferir o Forró do Maurição, uma festa particular aberta ao público que acontecia bem em frente ao campus. Lá fomos mutíssimo bem recebidos pelo próprio e usufruimos de uma linda e animada festa até por volta da meia-noite.

O dia seguinte, domingo 24/06, começou procurando lugar para comprar as latas de leite exigidas como ingresso para o Trem do Forró. Depois que conseguimos comprá-las, fomos tomar café da manhã no mesmo lugar onde havíamos almoçado no dia anterior. Dali foi só descer a ladeira, entrar na estação de trem e ficar na fila para conseguir os ingressos para o trem. No meio tempo, fotografamos à exaustão as senhoras que usavam vestidos coloridos e animavam os passageiros enquanto os comboios não partiam. Entre elas, uma senhora de 99 anos de idade, vestida de amarelo, era o destaque do grupo e das nossas lentes. Nosso trem saiu por volta das 11:00h para um percurso de 5Km (ida e volta), com duração de cerca de uma hora. No caminho, dançamos forró ao som do trio que estava no vagão, degustamos comidas típicas e, é claro, fotografamos tanto a parte de dentro quanto a parte de fora dos vagões. 

Terminado o passeio de trem, e ainda contagiados por tanta animação, fomos almoçar. Depois, ainda encontramos com o jornadeiro Euriclésio pelas ruas e fomos fazer pose para mais uma foto oficial na praça central. Em seguida, retornamos à UNIVASF, pegamos as coisas e voltamos para dar mais uma olhada no movimento. A vontade era ficar, mas o sol iria se por em breve e as atrações do dia ainda iriam começar. Assim, resolvemos colocar o pé na estrada, o que nos permitiu chegar em casa no início da noite, evitando trafegar pela estrada na escuridão.

Foram dois dias de muita animação e muita fotografia, num clima agradabilíssimo de São João do interior. Tivemos o prazer de contar com a participação de dois novos jornadeiros nesta edição, o João Alexandre e o Vinicius Colletto. Sejam ambos bem-vindos e apareçam sempre! Além disso, tivemos também a alegria de encontrar com dois antigos e eternos jornadeiros, o Fabio e a Paula. E ainda contamos com a presença do José Carlos, da Joana e da Catarina nos dois dias, sempre indo e retornando para Jaguarari. A Joana, em particular, nos concedeu a honra de passar parte do dia do seu aniversário (domingo) conosco nesta Jornada por isso mesmo ainda mais especial.

Deixamos aqui registrados os nossos agradecimentos para a Catia Gomes Rodrigues, do CAC da UNIVASF de Senhor do Bonfim, que atendeu com grande gentileza a nossa solicitação de sala de aula para pernoite e dessa maneira contribuiu de forma decisiva para a realização desta Jornada Fotográfica.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Relaxando, brincando e ensaiando para o São João

Tudo que se espera encontrar num parque municipal está nesta edição das imagens produzidas durante a 79ª Jornada Fotográfica realizada no último dia 31 de maio no Parque Josepha Coelho em Petrolina. Aqui estão as árvores, os pássaros, as crianças brincando, as bicicletas, o casal de namorados, os corredores e a família fazendo a foto para levar de recordação. Tudo captado com a atenção e a sensibilidade desta turma que aceitou o convite feito na véspera, depois que a Jornada do Catimbau precisou ser cancelada por motivos alheios à nossa vontade. Mas como todo parque guarda surpresas, a que ficou reservada para nós neste dia foi o ensaio de uma quadrilha de São João num dos vários abrigos que por lá existem. Sem os figurinos, encontramos rapazes e moças ensaiando com vontade, como é característico destes grupos. E é claro que o ensaio não nos passou desapercebido, tendo sido registrado com grande talento por vários dos nossos jornadeiros. Venham conhecer o Parque Josepha Coelho com a gente!

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Convocação para a 80ª Jornada Fotográfica - São João em Senhor do Bonfim


A Jornada de Junho acontecerá nos próximos dias 23 e 24, sábado e domingo, no município de Senhor do Bonfim (BA). A ideia é aproveitar os festejos juninos para produzir fotos que resgatam a alegria, a beleza, a originalidade e a tradição do evento. Senhor do Bonfim é conhecida pela forma com que organiza e realiza as suas festas juninas, sendo por isso sempre muito procurada e valorizada em toda a região.

Não é a primeira vez que nós tentamos ir para lá neste período. O problema, nas vezes anteriores, foi sempre o mesmo: dificuldade em conseguir hospedagem com custos acessíveis. Como vocês pode imaginar, os hotéis e as pousadas de lá trabalham apenas com pacotes e com valores substancialmente mais elevados do que em épocas normais, tornando a nossa ida inviável.

Desta vez, no entanto, estamos adotando uma estratégia diferente: nós conseguimos autorização para dormir em uma sala de aula do campus que a UNIVASF tem na cidade. Assim, precisaremos levar colchonetes, lençóis, cobertores e travesseiros para dormir do sábado para o domingo, e isso não implicará em nenhum custo para nós. É modesto mas creio que atende às nossas necessidades e anseios.

A ideia, portanto, é irmos no sábado (23) de manhã, saindo de Petrolina às 7:00h da praça do Centenário. Portanto, chegaremos em Bonfim por volta das 9:00h e poderemos passar o dia todo fotografando, já que o São João acontece nas ruas, nas praças e em toda parte por lá. Entre outras atrações, que ainda estamos tentando confirmar com a Secretaria de Turismo da cidade, estão o Trem do Forró e o casamento caipira na praça central. De noite acontece a tradicional Guerra da Espadas que, se observadas certas regras de segurança, pode ser também uma excelente oportunidade para a realização de boas imagens. Depois disso iremos dormir na UNIVASF, onde também poderemos tomar banho (de água fria).

No dia seguinte, domingo (24) acordaremos cedo, tomaremos café em algum bar ou restaurante das proximidades e depois seguiremos atrás de outros eventos juninos. O retorno acontecerá no final da tarde, com chegada em Petrolina prevista para às 19:00h.

domingo, 3 de junho de 2018

Corpus Christi sem gasolina no Josepha Coelho


Organizada e divulgada na véspera (dia 30/05, quarta-feira), a 79ª Jornada Fotográfica teve por objetivo substituir a Jornada que aconteceria no feriadão, entre os dias 31/05 e 03/06, no Parque Nacional do Catimbau, e que precisou ser cancelada em função dos problemas de desabastecimento que tomaram conta no país nos dias que antecederam a mesma.

Apesar de todos os esforços de manutenção, ficamos sem combustível na véspera e receosos de viajar por longas distâncias em estradas onde bloqueios e problemas de todos os tipos estavam sendo reportados. Além disso, não quisemos viajar sem garantias de que haveria combustível para o retorno e de que as nossas necessidades de alimentação, entre outras, estariam devidamente satisfeitas no destino

Por isso, resolvemos ficar por aqui mesmo e retomar uma ideia antiga, a de fotografar este parque que é uma referência em Petrolina e faz parte do cotidiano de muitos dos seus moradores e cidadãos.

Mesmo em cima da hora, ainda assim contamos com a presença de 11 jornadeiros, sem contar os que gostariam de ter vindo mas não puderem se organizar a tempo ou não viram o anúncio divulgado no dia anterior.

Foi uma tarde tranquila, de caminhadas e de fotografias num parque inicialmente vazio e silencioso, mas que ficaria mais cheio e barulhento lá para o final da tarde. Aproveitamos para rever os amigos, colocar a conversa em dia e, é claro, capturar momentos únicos daquela tarde de início de feriadão, como foi o caso do ensaio de uma quadrilha junina em uma das áreas cobertas.

Por volta das 17:00h encerramos as atividades e uma parte do grupo foi continuar a conversa num bar da orla de Petrolina, de onde saimos já no início da noite.

Se às vezes as coisas não saem como planejamos, não tem importância. O que vale é que estivemos juntos, fizemos a nossa Jornada mensal e mantivemos acesa a chama do nosso amor pela fotografia. Jornada tem todo mês, e não faltará oportunidade para realizarmos o tão desejado sonho de conhecer o Parque Nacional do Catimbau. Enquanto isso valeu, e muito, o esforço para documentar um pouco da vida neste parque que é um dos principais cartões postais de Petrolina.

Convocação para a 79ª Jornada Fotográfica - Parque Nacional do Catimbau (alteração)


Por motivos alheios à nossa vontade, infelizmente precisamos cancelar a Jornada para o Parque Nacional do Catimbau que aconteceria entre quinta (dia 31/05) e domingo (dia 03/06). Como vocês podem imaginar, os problemas decorrentes da situação atual do país foram decisivos para isto.

Para não ficarmos sem Jornada em maio, eu estou propondo uma tarde de fotografia amanhã (quinta-feira, 31/05, feriado), no Parque Josepha Coelho em Petrolina. A ideia é nos encontrarmos na entrada do parque às 14:00h, e ficarmos por lá até às 17:00h. Não é necessário inscrição prévia, apenas apareçam se quiserem fotografar com a gente.

Convocação para a 79ª Jornada Fotográfica - Parque Nacional do Catimbau


​A Jornada de maio acontecerá entre os dias 31/05 e 03/06 no Parque Nacional do Catimbau em Buíque (PE). O texto que segue foi feito para a nossa primeira tentativa de irmos para lá, e que acabou não dando certo, em abril de 2016. Pouca coisa mudou de lá para cá em relação ao planejamento da Jornada.

----------------------------------

​O Parque ​Ncional do Catimbau ​foi criado em 2002, ocupa uma área de mais de 600Km2 e abrange diversos municípios na regiao de Buíque.​ Ele fica distante 532Km de Petrolina.​ Conforme a Wikipédia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Parque_Nacional_do_Catimbau):

"Considerada Área de Extrema Importância Biológica, a unidade apresenta também registros de pinturas rupestres e artefatos da ocupação pré-histórica datados de pelo menos 6.000 anos. Os pesquisadores acharam 30 sítios arqueológicos no Vale do Catimbau. Com isso, o Catimbau é considerado o segundo maior parque arqueológico do Brasil, perdendo somente para a Serra da Capivara, no Piauí."

De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade, que mantém o Parque (http://www.icmbio.gov.br/portal/o-que-fazemos/visitacao/unidades-abertas-a-visitacao/732-parque-nacional-do-catimbau.html), ele:

"...tem o objetivo de preservar os ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico. Além disso, é marcado por lindas belezas naturais, com várias espécies de plantas, árvores e flores espetaculares compondo um visual único em sua flora. Existem grandes atrações no Parque Nacional do Catimbau, dentre elas destacam-se a abundância de inscrições rupestres e a grande beleza cênica dos paredões de arenito e das formações rochosas esculpidas pela ação erosiva do vento. A ocorrência de numerosos sítios de pinturas e gravuras rupestres localizados, principalmente, nos abrigos rochosos das serras são realmente imperdíveis. Tratam-se de pinturas realizadas em épocas pré-históricas, que apresentam uma grande heterogeneidade gráfica, com características que as identificam como pertencentes à classe de registros rupestres conhecidos como Tradição Nordeste e Tradição Agreste, bem como a outras classes ainda pouco definidas."

Nós partiremos às ​6​:00h do dia ​3​1​/05​, quinta-feira, e prevemos chegar no Vale do Catimbau, onde ficaremos hospedados na Pousada do Vale do Catimbau (ao lado da entrada principal do Parque) no ​final da tarde ​deste mesmo dia. Os dois dias seguintes (sexta e sábado) serão totalmente dedicados à exploração do Parque, onde seremos conduzidos pelo guia Genivaldo. A dinâmica destes dois dias será a seguinte: café na pousada, ida ao Parque, retorno para almoço na pousada, ida ao Parque, retorno para jantar na pousada e repouso. Serão, portanto, quatro períodos no Parque, que serão dedicados à trilhas e exploração dos pontos mais interessantes do ponto de vista fotográfico. O retorno acontecerá na manhã do dia ​03/06​, domingo, logo após o café da manhã. A chegada em Petrolina está prevista para a noite do dia ​03.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Sobre águas e barcos do norte baiano

Aqui estão as fotos realizadas durante a 78ª Jornada nos municípios baianos de Remanso e Sento Sé. Situados, respectivamente, nas margens norte e sul da represa de Sobradinho, eles foram visitados pelo nosso grupo num passeio muito especial, que incluiu uma travessia de balsa de um lado para o outro. As imagens, portanto, retratam a partida no porto novo de Remanso, a travessia propriamente dita, com lindas e amplas paisagens do céu sobre as águas, a chegada em Sento Sé, a orla da cidade, a visita na Capela da Itapera e, finalmente, a trilha pela deslumbrante Ilha das Andorinhas. São todos locais de grande beleza que foram registrados com imenso talento pelos nossos jornadeiros. Estão todos de parabéns!